Notícias

Aqui você encontra uma atualização diária com as principais notícias para você ficar por dentro de tudo o que acontece no mercado de cria.


(Informe sintetizado a partir de notícia publicada pelo programa Giro do Boi, em 26/08/2022)

CONHEÇA O ESCORE CORPORAL IDEAL PARA AUMENTAR A TAXA PRENHEZ

Vacas Nelore ao lado de seu bezerro à frente de uma cerca de arame farpado.

Boa condição corporal deve ser mantida após a parição, já de olho na futura monta.


“As pesquisas apontam que as vacas que emprenham de primeira são as que possuem uma boa condição de escore corporal”, destaca o pesquisador Gustavo Resende, explicando que são elas que parem mais cedo e geram os chamados “bezerros do cedo”, estabelecendo um círculo virtuoso na fazenda.

Afinal, cada vez mais se busca o desempenho do cedo, como forma de aumentar a eficiência da criação. E, nesse contexto, o escore corporal da vaca, no momento da estação de monta, é o primeiro pilar para se alcançar sucesso no programa reprodutivo do rebanho.

Gustavo Resende desenvolve seus estudos em Colina/SP, em estação da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Ele informa que o escore de condição corporal (ECC) ideal para a vaca emprenhar é 3,5 (em uma escala de 1 a 5), pois representa uma estimativa confiável das reservas de energia corporal da fêmea. Os melhores índices de fertilidade acontecem com esse padrão de escore corporal


MANEJO PARA ESTAÇÃO DE MONTA COMEÇA DURANTE A GESTAÇÃO

O desafio, portanto, é como levar a vaca ao escore corporal ideal. E as observações da APTA mostram que a melhor forma de fazer isso é iniciar um manejo especial antes mesmo de a vaca parir, já de olho na próxima monta. Só que muitos pecuaristas fazem o contrário, largando as vacas gestantes nas piores áreas da fazenda, em pastos de menor suporte nutricional.

Rebanho de vacas Nelore no campo

Vacas paridas devem receber manejo adequado. A fertilidade também vem do pasto.


Isto faz com que esses animais percam sua condição corporal, influindo negativamente sobre os índices de fertilidade da vacada. “Na maior parte das vezes – explica o pesquisador Resende -- os produtores só vão se atentar para as condições da vaca na hora da estação de monta, só que daí é muito difícil de se reverter o processo”.


DESMAMA ANTECIPADA PODE AJUDAR NA FERTILIDADE

As condições das pastagens e sua disponibilidade de alimento para as fêmeas é o fator que vai guiar o manejo das fêmeas paridas. Em anos de bons pastos, o problema não é tão grande, pois a garantia alimentar já está lá. No entanto, em anos de baixa oferta de capim, o criador deve pensar em estratégias alternativas, conforme indicam estudos da APTA, como adiantar a desmama da fêmea parida.

Bezerro mamando nos tetos de vaca Nelore à frente de uma cerca de arame farpado.

Quando o escore corporal e o pasto não ajudam, antecipar a desmama pode ser boa medida.


Isto porque a produção de leite custa muito para a vaca, em termos nutricionais. A exigência de nutrientes durante a lactação é grande, o que diminui muito a condição de energia corporal do animal. Por isso, a desmama antecipada passa a ser uma boa estratégia para manter uma condição corporal adequada da fêmea, até a próxima estação de monta. 

Bezerros do cedo nascem de prenhez do cedo. E essa história começa com um escore corporal ideal da vaca. Confira tudo neste vídeo, com uma entrevista do pesquisador Gustavo Resende, veiculada em 26/08/2022, no Giro do Boi.


EM-BR-22-0107

Siga a Elanco


Elanco e o logo em barra diagonal são marcas da Elanco e suas afiliadas ©️2021. Todos os direitos reservados. EM-BR-21-0079