Gestão na Pecuária

Por Antonio Chaker El-Menari Neto - Instituto Inttegra


ÍNDICES ZOOTÉCNICOS QUE GARANTEM MÁXIMO RESULTADO DA CRIA

MSc Antonio Chaker El-Memari Neto

Instituto Inttegra antonio@inttegra.com  

Bezerro Nelore mamando em vaca no pasto baixo, ao fundo cercado de arame farpado.

As referências estão presentes de várias formas em nossa vida e em nosso dia a dia como seres humanos. Quando uma mãe entra em trabalho de parto e finalmente o bebê nasce, ela pede informações como: qual foi a hora do parto, o peso e a altura do bebê e muitas outras. 

Da mesma forma, quando passamos em frente a uma loja e algum produto nos interessa, entramos e perguntamos o preço para, então, termos uma referência para comparar qual mais nos agrada. Nos negócios, assim como em nossa rotina pessoal, as referências são fundamentais para que consigamos evoluir e obter bons resultados

Neste artigo discutiremos a importância de se ter referências para uma visão completa da situação de forma a podermos compará-la com a almejada e, assim, empreender esforços para alcança-la. Para isso, identificaremos os indicadores e seus respectivos cálculos:

  • Indicadores
  • Cálculos
      • Fertilidade
      • Perda pré-parto
      • Mortalidade
      • Taxa de desmame
      • Quilos desmamados por matriz exposta
      • Taxa de aproveitamento de fêmeas
      • Quilos desmamados por hectare

Um profissional de sucesso é um agente de transformação que se dedica a compreender a situação atual e a desejada, empreendendo esforços para tal conquista. Uma visão completa apenas é possível quando é fundamentada por excelentes referências e saber se estamos dentro ou fora do esperado é a base para a tomada de decisão.

Para muitos, o sistema de produção da cria é apaixonante, afinal, produzir vida e melhorar geneticamente um rebanho inspira a maioria dos pecuaristas. Mas será que é apenas isso que realmente o torna “apaixonante”? Para nós, do Instituto Inttegra, essa paixão é movida pelos números que a cria nos traz! Para fazermos desta etapa um sistema de produção dito “apaixonante”, devemos ficar atentos aos seus processos e gerenciar, da melhor forma, equipe e negócio, para que tenham sucesso na conquista dos números.


INDICADORES

Como todas as atividades, a cria apresenta indicadores decisivos para o êxito. Tendo como referência as fazendas TOP 30% rentáveis do Benchmarking da safra 2020/2021 (aquelas que mais geraram resultado financeiro por hectare/ano), a fertilidade geral do sistema produtivo da cria deve ser superior a 82,2% (Tabela 1). 

Além da fertilidade, destaca-se a perda pré-parto (8,2%), mortalidade do bezerro (3,0%), taxa de desmame (74,8%), quilos desmamados por vaca exposta (162 kg), quilos de bezerro desmamado por hectare (181 kg) e taxa de aproveitamento de fêmeas maiores que 18 meses (103,5%). Abaixo, falaremos um pouco mais sobre cada referência.


IndicadoresTop 30 RentáveisPotencial
Fertilidade geral82,2%87,1%
Perda pré-parto8,2%3,1%
Mortalidade bezerro3,0%1,5%
Taxa de desmame74,8%78,3%
Kg desmamado por vaca exposta162 kg181 kg
Taxa de aproveitamento de fêmeas103,5%120,3%
Kg desmamado por ha181 kg193 kg


Tabela 1 – Referência1 de indicadores reprodutivos de fazendas - Top 30% Rentáveis e Potencial. 

1 - Benchmarking Inttegra na safra 20/21

As métricas do potencial de cada indicador (tabela 1) apresentam os resultados obtidos pelas melhores 30% fazendas para cada indicador, ou seja, aonde os melhores já chegaram. Existe um maravilhoso espaço para evolução.  


CÁLCULOS

Para obter esses índices, basta realizar alguns cálculos simples, como demonstraremos a seguir:

A FERTILIDADE é a relação entre o número de fêmeas em cobertura e o total de fêmeas que ficaram prenhes. O êxito na fertilidade é consequência de ações que promovam ganho de condição corporal durante o período de monta, aliado a um eficaz manejo reprodutivo e sanitário. As melhores fazendas superaram 87% de prenhez.

O cálculo da fertilidade:



A PERDA PRÉ-PARTO (PPP) representa o percentual de perdas entre o toque positivo e os nascimentos (perdas por abortos, reabsorções, natimorto). É, sem dúvida, um dos parâmetros de maior desafio na cria. Ao longo dos anos, este indicador é o único que não tem apresentado melhorias e é, inclusive, um problema nas fazendas top rentáveis. Perder, no máximo, 4% das prenhezes confirmadas deve ser a meta de todas as fazendas de cria. Doenças reprodutivas, estresse, restrições hídricas e nutricionais, problemas de ambiência e manejo de curral inadequado são as principais causas da elevada perda pré-parto.  

A PERDA PRÉ-PARTO (PPP) representa o percentual de perdas entre o toque positivo e os nascimentos (perdas por abortos, reabsorções, natimorto). É, sem dúvida, um dos parâmetros de maior desafio na cria. Ao longo dos anos, este indicador é o único que não tem apresentado melhorias e é, inclusive, um problema nas fazendas top rentáveis. Perder, no máximo, 4% das prenhezes confirmadas deve ser a meta de todas as fazendas de cria. Doenças reprodutivas, estresse, restrições hídricas e nutricionais, problemas de ambiência e manejo de curral inadequado são as principais causas da elevada perda pré-parto.  

O cálculo da PPP:



A MORTALIDADE EM BEZERROS mede o total de mortes entre o nascimento e o desmame. Manejo de maternidade adequado, garantia da mamada do colostro, cura do umbigo e vermifugação, aliados ao manejo de baixo estresse e protocolo sanitário bem estruturado são iniciativas chaves na busca por baixa mortalidade de bezerro. As fazendas referências já conquistaram 1,5% de mortalidade.

O cálculo da Mortalidade:



A TAXA DE DESMAME é um índice decisivo para análise do desempenho reprodutivo e consolida a fertilidade, perda pré-parto e mortalidade de bezerros. Representa o total de animais desmamados em relação às vacas expostas em reprodução, dentro de determinado período. De forma recorrente, ao longo dos últimos 9 anos de estudo, os maiores resultados econômicos da cria foram conquistados quando a taxa de desmame foi próxima a 75%.

O cálculo da taxa de desmame:



QUILOS DESMAMADOS POR VACA EXPOSTA apresenta qual foi a quantidade de quilos de bezerros produzidos em relação à quantidade de matrizes expostas à monta. Esse índice representa a grande meta dos criadores, que são muitos bezerros com elevado peso. A combinação da taxa de desmame com o peso ao desmame define os quilos de bezerros desmamados por vaca exposta à reprodução. 

Como já abordamos o que influencia na taxa de desmame, vamos olhar um pouco para o peso ao desmame. Além da idade ao desmame, o peso é determinado pelas características genéticas, habilidade materna e estratégia nutricional do rebanho. Essa última, explica porque os bezerros nascidos “mais cedo” (meses de agosto a outubro) apresentam maiores pesos ao desmame que animais nascidos próximos e depois da virada do ano. Vacas em lactação com melhor oferta de forragem desmamam bezerros mais pesados

Alimentação do bezerro ao pé da vaca (creep feeding), ambiência e sanidade fecham os principais elementos que determinam o peso ao desmame. Na cria profissional, deve-se sempre superar 160 kg de bezerros desmamados por matriz.

O cálculo de quilos desmamados por matriz exposta:



TAXA DE APROVEITAMENTO DE FÊMEAS é um dos mais recentes indicadores do processo reprodutivo. Ela mede qual foi a proporção de fêmeas acima de 18 meses exposta à monta. Situações em que esse indicador é inferior a 100% mostram que a totalidade de fêmeas, acima desta idade, não foi aproveitada. Superando 100%, quanto maior esse indicador, maior a participação de fêmeas abaixo de 18 meses na composição das matrizes em monta. Os estudos claramente demonstram que idade à primeira monta define a arquitetura do rebanho, bem como a capacidade de aproveitamento dos animais. Quanto mais jovens as fêmeas à primeira monta, maior a proporção de matrizes sobre o rebanho total, ou seja, melhor aproveitamento do estoque pecuário. Todo criador deve superar 100% na taxa de aproveitamento de fêmeas e inserir o gene da precocidade é o primeiro passo para que possamos, com o apoio da nutrição, colher todo o potencial produtivo do rebanho de cria. 

O cálculo da taxa de aproveitamento de fêmeas



QUILOS DESMAMADOS POR HA é o parâmetro que amplia a visão do desempenho da cria. Ao contrário de todos os índices anteriores, que apresentam a relação entre a produção e o rebanho, este índice mede a produção pela área de pastagem. O maior ativo do pecuarista é a terra e monetizar este ativo é o papel do produtor. Devemos buscar superar 180 kg de bezerros por hectare e lotação, taxa de desmame e peso ao desmame sustentam esta métrica.

O cálculo de quilos desmamados por hectare


Todas as métricas descritas neste texto tornam notável que a pecuária de cria é um processo multifatorial e plurianual.  Esperamos que as referências possam ajudá-lo (a) a construir melhores resultados e evoluir a cada dia. Conhecimento técnico, estratégia de produção, excelência operacional e índices na “ponta do lápis” são os fundamentos para uma cria tanto apaixonante quanto rentável.  



EM-BR-21-0166


Siga a Elanco


Elanco e o logo em barra diagonal são marcas da Elanco e suas afiliadas ©️2021. Todos os direitos reservados. EM-BR-21-0079